Cap 5 - A Despedida.

Por Wagner Colozzo Abril
Depois da noite regada a bebidas, nossos manguaceiros heróis estavam acordando com dor de cabeça e uma certa dificuldade de lembrar alguns dos fatos ocorridos naquela casa. Assim que todos estavam de pé e prontos para continuarem a busca, Anita deu as explicações finais para que não fossem atacados por alguem acordado que ainda andava pela cidade.
"A casa deles não é longe, mas precisamos andar rápido e com cuidado." - disse Anita.
Eles deixaram a casa andando nas sombras e em passos rápidos. Ao longo do caminho encontraram com algumas pessoas tentando andar, mas de tão bêbados não conseguiam nem ver o que estava a frente e era tudo o que eles podiam querer para não serem atacados.
Entrando na casa, perceberam que era maior do que aparentava, com várias salas, muitas mesas, algumas cadeiras estranhas e com muitas velas ao longo dos altos corredores. Anita os guiou até um salão onde as luzes eram mais fracas e com um pouco de dificuldade podia-se ver uma espécie de altar no final dela com uma mesa comprida e 5 cadeiras.
"Sábios, precisamos de sua enorme sabedoria." - disse Anita.
Uma voz que ecoou por todo o salão disse de volta "Aproxime-se Anita. Já sabemos de seus visitantes e estamos prontos para ajuda."
Uma mistura de alegria e receio tomou conta dos Jebas nesse instante, mas eles foram treinados para não recuar em nenhuma situação, então seguiram em frente prontos para qualquer coisa.
Assim que se aproximaram do altar puderam ver melhor as 3 mulheres e os 2 homens que apesar da idade avançada não aparentavam ter mais do que 40 anos.
Com um aceno de cabeça de Anita, Black pôs-se a frente e começou a explicar tudo o que aconteceu desde a decisão de partir de Trolha. Os sábios ouviram tudo com atenção e demonstraram bastante interesse enquanto explicava a tecnologia trolhana, ao final os 5 se olharam por alguns segundos e uma das mulheres disse: "O que vocês procuram pode ser encontrado a algumas horas ao sul daqui em um pequeno povoado. A única forma de chegarem lá é passando por uma pequena ponte que é frequentemente vigiada por VIH. Ele costuma se alimentar de algumas daquelas pobres camponesas que saem para as plantações. Mas devo alertar que um de vocês precisará fazer uma importante escolha antes que o dia acabe."

Ao terminar de pronunciar a última palavra as luzes do salão piscaram e no momento em que olharam para a frente todos os lugares estavam vazios. Essa era a deixa para que eles partissem daquela cidade o mais rápido possível para salvar Trolha.
Anita acompanhou os Jebas até os limites da cidade pensando na noite mais divertida que teve nos últimos anos e com a partida deles sua vida agora voltaria a ser tediosa como sempre fora deixando-a triste. Mas na cabeça dos Jebas um único pensamento atormentava a todos ao mesmo tempo, que escolha seria essa e quem deveria fazê-la.

Ao chegarem perto de um rio, Anita se despediu dos alienígenas com muito pesar. "Tenho que ficar aqui, eu seria um peso e atrasaria vocês na busca. Venham me visitar novamente, ficarei com saudades." Abraçou a todos e sentou na margem do rio chorando enquanto via seus novos amigos cruzarem o rio.

Alguém quer dar um mergulho?




Após algumas horas seguindo o caminho indicado pelos sábios finalmente viram uma ponte surgir a frente deles. Mas assim que se aproximavam dela percebiam o tamanho do desfiladeiro abaixo e entenderam que o pequena ponte não era referente ao comprimento, mas sim a largura.
Com todo o cuidado começaram a cruzar pois o vento era forte naquele ponto e uma queda daquela altura não seria nada agradável, mas assim que alcançaram a metade da ponte surge VIH correndo como uma besta desenfreada fazendo com que tudo chacoalhasse quase derrubando os Jebas. Com muito custo eles conseguem correr, mas um forte vento junto com os pulos de VIH fazem com que eles fiquem pendurados e em posição bem difícil.
"Rápido, soltem as mochilas e qualquer peso extra que estiverem carregando e segurem firme!" Gritou Ganso que já tinha se livrado de seus pertences e estava prestes a cortar as cordas da ponte. Com um estrondoso NÃO, todos começaram a despencar rumo a parede de pedra oposta em grande velocidade enquanto VIH ,que apesar de ter asas mas não saber como usá-las, caia gritando e lançando tiros de veneno nos trolhanos.
Só conseguiram ouvir o barulho na água e um pequeno ponto flutuando no meio do rio, VIH estava morto e nossos heróis ainda vivos.
Mesmo com os corpos doloridos pela queda e pela batida na parede dura de pedra, eles escalam com dificuldade, mas contentes por mais uma vitória em sua busca. Nesse momento percebem fumaça saindo por trás da montanha, isso significa que sua busca está muito próxima do fim. Eles se olham e não é necessário dizer mais nada, o fim está próximo.


VIH está mesmo morto?
Como serão as noites de Anita agora?

Não percam finalmente o último capítulo.
 

1 comment so far.

  1. Anônimo 14 de agosto de 2008 00:54
    boa serie

    hahahhahaha

    os nome são uma pira


    q o fim seja realmente bom

Something to say?